Eleições 2018

João Azevedo quer recriar secretaria extinta por Ricardo e anuncia Centro de Convenções e VLT em Campina Grande

11 de outubro de 2018

O governador eleito João Azevêdo (PSB) parece está disposto a fazer um governo diferente de Ricardo Coutinho a partir de 2019. Nesta quinta-feira (11), em pleno aniversário de 154 anos de emancipação política, Azevêdo promete uma secretaria para Campina Grande, contrariando o seu futuro antecessor, responsável pela extinção da antiga Secretaria de Representação Institucional, pasta que tinha sede na cidade ‘Rainha da Borborema’.

O governador eleito anunciou, ainda, que sua administração construirá um Centro de Convenções, para utilizar no grande polo calçadista da cidade e manter exposições e feiras permanentes, e levará o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) para a cidade.

De acordo com João Azevêdo, a nova secretaria seria para descentralizar o governo e atender aos municípios da região. “Vamos implantar em Campina Grande uma parte do governo, nós queremos levar de volta para Campina Grande uma secretaria que mantenha a relação direta entre a sede do Governo, aqui, e os interesses, claro, de todo o interior do Estado polarizados em Campina Grande”, disse.

Na área da saúde, João pretende investir na traumatologia no Estado, com a construção de unidades para desafogar os hospitais regionais, e destacou a necessidade de uma maternidade no Vale do Piancó para atender casos de alto risco.

Na Educação, João pretende abrir mais 50 escolas integrais na Paraíba. Hoje, existem 100 escolas integrais, que funcionam em dois turnos. “A meta é universalizar, ter em cada município pelo menos uma escola em tempo integral”, disse, afirmando que o Gira Mundo também será ampliado e entre os países que haverá convênio está a Inglaterra. Ele também pretende buscar mais parcerias com os municípios para melhorar os índices do Ideb.

Na área de recursos hídricos, o governador eleito reafirmou que buscará levar segurança hídrica para todos os municípios. Ele explicou que é possível fazer isso a partir dos Eixos Leste e Norte da Transposição. “Esperamos que o governo federal conclua o Eixo Norte, falta muito pouco, mas infelizmente não tem acontecido a sua conclusão. Chegando água pelo Eixo Norte da Transposição”, disse.

A partir daí, ele explicou que o Governo vai ampliar um programa de adutoras que já tem em execução, de 1.500 quilômetros de adutoras, algumas adutoras precisarão ser implementadas, além de expansões de rede dentro dos municípios.