Esporte

Mesmo derrotado, Anderson Silva encaminha final de carreira digno no UFC

12 de fevereiro de 2019

Anderson Silva retornou ao octógono na madrugada de domingo (10) depois de quase dois anos desde sua última luta e impressionou no UFC 234, em Melbourne, na Austrália. Mesmo com a derrota contra Israel Adesanya, o veterano brasileiro de 43 anos recebeu elogios pelo duelo e encaminha um final de carreira digno para quem foi dono do cinturão dos médios do Ultimate de 2006 a 2013 e depois enfrentou exames antidoping positivos.

O último deles foi após vencer Derek Brunson por decisão unânime em fevereiro de 2017. O Spider testou positivo para testosterona sintética (metiltestosterona) e diurético e agente mascarante (hidroclorotiazida) e ficou suspenso de novembro de 2017 a novembro de 2018. Apesar da punição, a USADA (Agência Antidoping dos EUA) disse em julho do ano passado que o brasileiro usou um suplemento contaminado por substância proibidas vindas de uma farmácia de manipulação. O retorno ao octógono só aconteceu no último domingo.

O bom desempenho contra Adesanya foi seguido por reverência. Lutadores, especialistas, personalidades do esporte e a imprensa de todo o mundo elogiaram o ex-campeão do UFC. O combate foi escolhido o melhor do UFC 234.

“Fala sério, Anderson é ex-campeão, uma lenda. O nome dele é muito maior que qualquer ranking ou opinião”, disse Júnior Cigano. “Apesar da derrota para Israel Adesanya, um vislumbre do vintage Anderson Silva foi incrível”, publicou o site americano Bleacher Report.

A expectativa de Anderson, em caso de vitória contra Adesanya, era voltar a disputar o título da categoria, mas o resultado negativo afasta o lutador do sonho. Mesmo com o cinturão distante, ele tem novos objetivos no Ultimate.

Anderson já vinha desafiando e sendo desafiado por outros atletas antes mesmo do combate de domingo. O mais “badalado” foi o desafio a Conor McGregor, ex-campeão dos penas e dos leves do UFC. Depois de ver o desempenho do Spider contra Adesanya, o irlandês elogiou o brasileiro e disse que “seria uma honra” enfrentá-lo.

Outro lutador que o veterano pediu para encarar foi Nick Diaz. Os dois lutaram em 2015, e o brasileiro venceu na decisão dos juízes, mas a luta ficou sem resultado depois que Anderson foi pego no exame antidoping. Depois do UFC 234, o Spider aproveitou para pedir um novo duelo contra o norte-americano e já escolheu data e local. Anderson quer lutar em Curitiba, onde cresceu, no UFC 237, que será realizado no dia 11 de maio. Resta saber se Dana White irá atender o pedido nos últimos capítulos da carreira de Anderson Silva.

UOL