Esporte

Sócios do Boca Juniors ficam sem ingressos para final da Libertadores e se revoltam na porta do clube

08 de novembro de 2018

Os últimos ingressos para a partida de ida da final da Libertadores foram vendidos nesta quinta-feira através da internet. E muitos sócios do Boca Juniors ficaram a ver navios. Eles acusam o presidente do clube, Daniel Angelici, de não beneficiar aqueles que pagam mensalidades na hora da compra.

Segundo os torcedores, não houve o filtro prometido para quem foi a todos os jogos do Boca nesta Libertadores. Por isso, eles se dirigiram a uma das entradas da Bombonera para protestar, à procura de um milagre. Houve tumulto, com nervos exaltados por parte dos torcedores.

Em entrevista ao canal de TV argentino “TyC Sports”, Angelici disse que o clube não tem culpa pela falta de ingresso. Ele argumentou que a procura por entradas é muito maior que a oferta e o estádio do Boca não conseguiria comportar tanta gente interessada em assistir à final da Libertadores.

– Não há Bombonera que suporte. Duas Bomboneras não seriam suficientes. Há 29 mil entradas populares disponíveis, e, quando há 90 mil sócios querendo entrar, um grande número ficará de fora – afirmou.

Uma nova leva de ingressos será vendida, também na internet, às 20h (de Brasília). Mas poucos têm esperanças de que vão conseguir entradas para a superfinal – o clube conta com cerca de 140 mil sócios em diferentes categorias, e a capacidade da Bombonera é de 49 mil pessoas.

Boca Juniors e River Plate abrem a inédita decisão da Libertadores neste sábado, às 18h (de Brasília), na Bombonera. O SporTV transmite ao vivo e o GloboEsporte.com acompanha em tempo real. O jogo de volta está marcado para o dia 24, no Monumental – não há o critério do gol fora de casa.

G1