Economia

Ações do Facebook despencam na bolsa pelo 2º dia e diretores já falam em crise

26 de julho de 2018

O escândalo envolvendo o vazamento indevido de dados de usuários e as controvérsias em torno da eleição presidencial de 2016 nos EUA parecem estar finalmente trazendo consequências reais ao Facebook. As ações da empresa despencam nas operações pré-mercado nesta quinta-feira, com recuo de mais de 20%, pressionadas pelos comentários do executivo-chefe de finanças da empresa, David Wehner, que disse na conferência com os acionistas que espera notícias ruins para o segundo semestre.

As ações caíram quase 8% no pós-mercado logo após a divulgação do balanços trimestral do Facebook, que indicou um crescimento das receitas publicitárias abaixo do esperado, e chegaram a recuar mais de 23% ontem. Caso essa queda de cerca de 20% se concretize, a empresa deve perder mais de US$ 100 bilhões em valor de mercado. Pode ser o pior dia desde a estréia na bolsa, em 2012.

A receita publicitária do Facebook ficou em US$ 13,04 bilhões, abaixo da expectativa de US$ 13,34 bilhões, de acordo com dados da FactSet. O lucro líquido por ação da empresa ficou em US$ 1,74 no trimestre, praticamente em linha com a expectativa, de US$ 1,71. O número de usuários diários no segundo trimestre, de 1,47 bilhão, também ficou abaixo da expectativa, de 1,49 bilhão.

 

Com Valor Econômico