Opinião

Arrasta pé não combina com ativismo judicial: viva o Maior São João do Mundo!

05 de junho de 2018

Quando você acha que já viu de tudo, eis que o judiciário brasileiro resolve provar justamente o contrário. A decisão da juíza Ana Carmem Pereira Jordão Vieira, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Campina Grande, que proibiu a execução de músicas durante o Maior São João do Mundo, em Campina Grande, previsto para começar nesta sexta-feira (8), é tão lapidar quanto simbólico em tempos de ativismo exasperado e extravagantemente desproporcional.

A questão é muito mais de mérito do que de qualquer outra coisa. O ‘Maior São João do Mundo’ não é uma festa de rua em que qualquer autoridade, por mais laureada que seja, tente pôr fim ao bel prazer ou por mais justa que seja a causa, mas um patrimônio que há muito rompeu as divisas de Campina Grande e da Paraíba. Trata-se, sem dúvidas, da mais importante festa do calendário paraibano e uma das mais tradicionais do país.

Com todas as vênias possíveis e impossíveis, o argumento da magistrada em ‘calar’ um dos mais importantes eventos do calendário brasileiro no mês de junho é o mesmo de um médico querer promover eutanásia num paciente com virose. Um absurdo típico dos tempos estranhos que atravessa o país e que só reforça a tese do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Eros Grau, que, em recente artigo no Estadão, ao comentar o ativismo judicial do Brasil, chega a confidenciar ter medo de juízes.

O prefeito Romero Rodrigues precisa e deve mover todos os meios e recursos judiciais para assegurar não só o inicio como toda a programação da festa, esperada durante um ano inteiro e responsável por movimentar uma cadeia produtiva inteira, desde a rede hoteleira ao mais humilde vendedor de algodão doce. E a justiça, pelos instrumentos que dispõe, há de encontrar um meio termo para medias os eventuais conflitos e sanar as controvérsias existentes.

Por mais brilhante que seja a cabeça do magistrado e mais justa que seja a causa, o que está em jogo de verdade não é uma festinha de rua ou mesmo um arranjo qualquer, mas o maior evento cultural e de turismo da Paraíba. E só isso é o bastante para acreditar que o Maior São João do Mundo começa mesmo nesta sexta-feira, dia 08, com muito arrasta pé e alavantu!

 

*Por Ivandro Oliveira, diretor de Conteúdo do Tá na Área