Paraíba

Hospitais universitários da Paraíba terão reforço de R$ 4,3 milhões

17 de maio de 2018

Foto: Assuero Lima/Jornal Correio da Paraíba

Os hospitais universitários federais poderão contar com um reforço financeiro de mais R$ 100,1 milhões para o custeio de materiais de uso diário, além de serviços prestados nas unidades. Os recursos são do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), gerido pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), instituição vinculada ao Ministério da Educação (MEC). Para as unidades beneficiadas na Paraíba, serão destinados R$ 4.315.485,95, divididos entre o Hospital Universitário Alcides Carneiro – UFCG (R$ 2.183.256,88), Hospital Universitário Júlio M. Bandeira de Melo – UFCG (R$ 492.098,31) e Hospital Universitário Lauro Wanderley – UFPB (R$ 1.640.130,76).

A descentralização da verba ocorreu por meio de portaria do Ministério da Saúde (MS) publicada nesta quarta-feira (16), no Diário Oficial da União. Os recursos financeiros serão liberados mediante a comprovação da liquidação dos empenhos. Com esse montante, os recursos liberados em 2018 totalizam aproximadamente R$ 320 milhões, somados os recursos do MS e do MEC.

Os recursos do Rehuf, programa administrado pela Ebserh, são destinados à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados ao Sistema Único de Saúde (SUS). A iniciativa também prevê o financiamento compartilhado dos hospitais por meio dos ministérios da Educação e da Saúde e contempla iniciativas de modernização da estrutura física e do parque tecnológico das unidades hospitalares.

O Rehuf é gerido pela a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), criada em dezembro de 2011. O programa contempla ações em todas as unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh. Vinculada ao MEC, a Ebserh administra atualmente 40 hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do SUS, e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

Com Portal Correio