Policial

Família descobre estupro após menino de 8 anos anunciar ‘gravidez’ em SP

12 de outubro de 2018

O estoquista Gerivaldo Andrade do Espírito Santo, de 39 anos, preso por estuprar um menino de oito, demonstrou arrependimento em depoimento à polícia, disse que nunca havia abusado sexualmente de alguém antes, e que sentiu medo do que poderia ocorrer com ele depois do crime. Segundo apurado pelo G1, o rapaz era contratado para cuidar da bisavó da vítima, que relatou ter sido fotografada por ele após o ato libidinoso.

Andrade foi preso por ordem da Justiça, depois que a equipe da Delegacia de Defesa da Mulher de Cubatão (SP) o identificou como o responsável pelo crime contra a criança. Os pais do menino descobriram o abuso sexual depois que a vítima relatou, assustada, que “nasceria um bebê” da barriga dele, o que causou estranheza nos familiares.

O homem, após ser detido, admitiu o crime e relatou em depoimento que “nunca tinha feito isso [abusado sexualmente de alguém] antes”, que “atacou o menino só uma vez” e que, após o ocorrido, ficou com medo do que poderia acontecer com ele na cadeia. Diferentemente do que o menino relatou à família, Gerivaldo negou que tenha fotografado a criança após o abuso.

Celular com arquivos de pornografia infantil e outros objetos foram apreendidos pela polícia — Foto: G1 Santos

Celular com arquivos de pornografia infantil e outros objetos foram apreendidos pela polícia — Foto: G1 Santos

Em contato com o G1, familiares da vítima informaram que o menino ainda relatou dores, quando contou o que tinha acontecido. Gerivaldo foi contratado para cuidar da bisavó da criança, que mora em uma casa vizinha à família. O homem surpreendeu o garoto justamente quando ele tinha ido visitá-la, sozinho.

A Polícia Civil não encontrou a foto do menino no celular de Gerivaldo, mas localizou vídeos de pornografia infantil e, por isso, ele também acabou preso em flagrante pelo crime de armazenamento de imagens com conteúdo ilícito. O equipamento foi apreendido para que seja periciado e analisado.

A possibilidade de o suspeito ter cometido o crime contra outras vítimas não foi descartada, por isso, o caso segue em investigação. A polícia ainda aguarda o resultado de laudos de compatibilidade genética que possam reforçar as provas do crime obtidas até agora. O menino está com a família, que está abalada com a situação.

Caso foi registrado na Delegacia de Defesa da Mulher, em Cubatão, SP — Foto: Renan Fiuza/G1

Caso foi registrado na Delegacia de Defesa da Mulher, em Cubatão, SP — Foto: Renan Fiuza/G1

O crime

O relato, junto com o laudo do Instituto Médico Legal (IML), sustentou as ordens de prisão temporária, válida por 30 dias, e de busca e apreensão autorizadas pela 1ª Vara Criminal de Cubatão, a pedido da Polícia Civil. Os mandados foram cumpridos com apoio de policiais dos três distritos da cidade.

A operação foi divulgada pela polícia nesta quinta-feira (11). Gerivaldo, que até então não tinha passagem criminal, foi encontrado no lugar de trabalho, em uma loja na região central de São Vicente, cidade vizinha. Ele não resistiu à prisão e, em depoimento, confessou o crime.

A ordem de busca e apreensão era para a residência do suspeito, no bairro Vila dos Pescadores, em Cubatão. O estoquista é natural de Sergipe e se mudou para o litoral paulista em 2016. Além do celular, foram apreendidos objetos que serão submetidos a análise. Gerivaldo foi encaminhado à Cadeia Pública.

G1