Política

Em prisão domiciliar, Eike Batista defende Lula: “Fez governo excepcional’

10 de agosto de 2018

Foto: Divulgação SBT

Eike Batista abriu as portas de sua casa e recebeu o Conexão Repórter para uma entrevista exclusiva. O programa do SBT vai ao ar na próxima segunda-feira (13). Roberto Cabrini conversou com Eike sobre a sua saída da prisão, após três meses. O empresário – que já foi o oitavo homem mais rico do mundo – foi condenado a de 30 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. Eike cumpre prisão domiciliar.

Ao Conexão Repórter, Eike mostra sua casa e escritório, o carro blindado e até mesmo o helicóptero, com o qual sobrevoa o super porto do Açu, onde deposita suas fichas do presente.

“Eu, graças a Deus, tive disciplina sempre obviamente angustiado e pensando que estou preso. Tirar a liberdade de um ser humano é complicado”, comentou Eike sobre sua rotina durante os três meses na prisão.

O ex-bilionário revelou ainda como era o seu dia a dia: “Tinha 1 hora de sol durante o dia. Às vezes a tarde durante a semana. O resto eram 23 horas preso num ambiente de 12 metros quadrados”, disse.

Questionado sobre emprestar os seus aviões ao ex-governador do Rio de Janeiro, Eike responde: “Olha, eu tinha 3 aviões na época, não tenho mais, e ele sempre sabia que meu avião estava disponível…”.

Eike também teceu elogios ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e falou sobre não ter se arrependido de ter levado o petista ao porto de Açu. “Não, cara, porque… jogue uma pedra no presidente Lula que fez, de 2002 a 2010, um governo excepcional. (…) Eu diria pra você, 80% dos brasileiros teriam orgulho de estar perto dele. Em 2012, eu levei ele em Açu. E essa foto virou uma coisa de que o Eike é o filhote do PT.”

Questionado também sobre ser ‘filhote’ do PT, Eike rebate: “Jamais fui e jamais serei. Não sou filhote de partido nenhum. Eu sou filhote do Brasil”.